Crédito aos consumidores

03-09-2013

Crédito pessoal

credito aos consumidoresA decisão de recorrer a um crédito deve ser tomada depois de ponderar o seu custo no orçamento familiar. Se optar por um crédito pessoal, para negociar uma taxa de juro mais reduzida, faça-se valer dos seus argumentos, como outros produtos contratados no banco (domiciliação do ordenado, cartões de crédito, domiciliação de pagamentos domésticos, etc.) e o património financeiro. O consumidor deve começar por visitar o seu banco não esquecendo aquilo que a concorrência lhe pode proporcionar. Se forem apresentadas taxas mais baixas em troca de produtos, só deve aceitar se realmente precisar deles e, claro, se os custos compensarem. Esta forma de financiamento pode destinar-se para diversas finalidades: educação, saúde, energias renováveis, mobiliário, etc.

Crédito nas lojas

No que diz respeito às linhas de financiamento disponibilizadas nas lojas (geralmente, através de SFAC ¬Sociedades financeiras para aquisição a crédito) para comprar, por exemplo, um eletrodoméstico, é frequente não serem apresentadas todas as condições do crédito.

Analise e podere com muita atenção:

  • As condições do crédito (a TAEG e os seguros associados). A lei obriga a cumprir os requisitos de informação pré-contratual;
  • As taxas de juro praticadas, pois, regra geral, são mais elevadas do que se pedir um crédito pessoal no banco.

Além dos aspetos relacionados com o crédito:

  • Tome particular atenção às mensagens publicitárias (do género: “taxa 0%”), pois poderá estar perante um produto que, à partida, é mais caro (por exemplo, pode ter que pagar uma comissão de abertura processual);
  • Informe-se e compare os preços do produto que pretende adquirir em vários estabelecimentos (e faça o mesmo para o financiamento).

Crédito automóvel

A decisão de adquirir um carro só deve ser tomada depois de ponderar o seu custo no orçamento familiar. Deve ter em conta que para além do preço de compra, importa considerar os encargos com a sua manutenção que podem também vir a pesar nas despesas familiares.

O carro pode ser pago a pronto pagamento ou com recurso ao crédito. Em matéria de financiamento automóvel (novos ou usados), o consumidor deve:

  • Em primeiro lugar, negociar o preço do carro em vários concessionários, dada a diferença de preços que pode existir;
  • Em segundo, embora existam três grandes modalidades de financiamento automóvel (o crédito, o aluguer de longa duração e o leasing/locação financeira), ainda antes de optar por uma delas, tem todo o interesse em negociar uma taxa de juro atrativa com o maior número de bancos possível, a começar por aquele em que tiver maior envolvimento.
Modalidades de financiamento automóvel:

financiamento automovel

 

 

Para mais informação:

Financiamento automóvel: soluções por medida