Página principal Literacia Financeira Produtos e serviços financeiros Contas à ordem Os custos de ter uma conta bancária…

Os custos de ter uma conta bancária…

25-07-2017

Os consumidores têm feito chegar ao Gabinete Gabinete de Proteção Financeira da DECO  alguns pedidos de informação e alguma preocupação relativamente aos custos das contas à ordem. Os consumidores,  clientes da Caixa Geral de Depósitos, estão a ser informados da alteração de preçário que entra em vigor a 1 de Setembro de 2017. Contudo, a alteração de preçário pode passar ao lado dos mais distraídos ou da população mais vulnerável,  com menos acesso à informação, sendo que  pode ter um impacto significativo  orçamento mensal.

De acordo, com as alterações comunicadas todos os reformados ou pensionistas, com mais de 65 anos e que recebem a sua reforma ou pensão pela Caixa Geral de Depósitos, continuam a estar isentos da comissão de manutenção da conta à ordem caso recebam um valor de pensão/reforma inferir a 835,50€. Atualmente a isenção existe sem que haja limitação ao valor da pensão/reforma.

Desta feita, os consumidores e clientes da CGD que aufiram um valor de pensão/reforma superior a 835,50€ perderão a isenção, e passarão a pagar mensalmente 4,95€ + imposto de selo pela sua conta à ordem.

Para os não reformados ou pensionistas com mais de 65 anos, os critérios de isenção vão sofrer igualmente alterações. Isto é, os consumidores que domiciliam o seu ordenado na CGD, com idades compreendidas entre os 25 anos e os 65 anos, deixarão também ter estar isentos do pagamento da comissão de manutenção da conta à ordem. De realçar, que acrescem ainda os encargos com as anuidades dos cartões.

Quem não recebe o seu ordenado pela CGD, mas tem um património financeiro superior a 5000€, deixa de estar isento da comissão de manutenção da conta à ordem.

Os novos critérios para isenção da comissão de manutenção da conta à ordem são:

  • O 1º titular da conta ter mais de 65 anos e uma pensão ou reforma domiciliada na CGD inferior a 835,50€;
  • Contas à ordem de jovens até 25 anos, uni-tituladas, ou de alunos associadas cartões universitários da Caixa;
  • Titulares de conta ordenado na CGD, com domiciliação do vencimento, cartão de débito, cartão de crédito e património financeiro superior a 5000€. Exclui-se do património financeiro os saldos médios da conta à ordem, o que obriga o consumidor a ter um valor superior a 5000€ numa aplicação financeira.

Caso não cumpra um dos requisitos para a isenção, pode optar pelas novas contas Caixa, escolhendo um dos três novos produtos em comercialização. A conta S, M ou L:

  • A conta S, permite-lhe ter associado à conta à ordem um cartão de débito e realizar até 2 transferências online por mês, através do serviço “Caixadirecta”, pelo valor de 4€ mensais caso não tenha a domiciliação de ordenado ou um património financeiro superior a 5000€. Caso receba o vencimento pela Caixa ou tenha um património financeiro superior a 5000€ a comissão reduz para 2,5€ mensais;
  • A conta M, inclui utilização da conta à ordem, 3 transferências online, ter 2 cartões de débito e 2 cartões de crédito no caso de 2 titulares. O valor da comissão mensal sobe para os 6€ nas situações em que não exista domiciliação de rendimentos ou património financeiro superior a 5000€. Se domiciliar o vencimento ou tiver um património superior a 5000€ a comissão reduz para os 4€ mensais.
  • Por último, a conta L,  permite  transferências online ilimitadas, 2 cartões de débito e 2 cartões de crédito, incluindo-se o cartão de crédito Gold da Caixa. Associado aos cartões existe a oferta de um seguro de acidentes pessoais e associado à conta um seguro de assistência ao lar. O valor da comissão mensal ascende aos 9€ para os casos em que não exista a domiciliação de rendimentos ou um património financeiro superior a 5000€, e o valor reduz os 7€ mensais quando se verifica a existência da domiciliação do ordenado ou o património superior a 5000€.

Ao  escolher uma das 3 contas acima descritas terá  a isenção das anuidades dos cartões de débito (em todas as opções) e dos cartões de crédito (nas opções M e L).  No caso de optar  por não subscrever uma das novas contas Caixa, terá um custo mínimo de 4,95€ + imposto de selo, e todos os outros serviços e produtos serão pagos de acordo com o preçário em vigor (anuidades de cartões, cheques, transferência, etc.).

Após analisar as mudanças do novo  preçário,  é de assinalar o impato no orçamento das famílias, sobretudo nas  economicamente desprotegidas,  que ao perderem a isenção da comissão de manutenção das suas contas terão de optar por um dos 3 pacotes de contas criados pela Caixa, de forma a minimizar os seus encargos. Refira-se, ainda, que estes novos valores  não têm qualquer  serviço associado que justifique este novo custo.

No entanto, apesar de ser  cada vez mais difícil fugir aos custos associados às contas, o consumidor deverá tentar, sempre,  encontrar soluções que lhe sejam mais vantajosas e poderá, sempre que reúna os requisitos  poderá transformar a sua conta, numa conta de serviços mínimos bancários.

Para mais informações contacte-nos, pessoalmente na sede ou nas nossas delegações, através do Portal do GAS ou para o seguinte email: gas@deco.pt   ou  gas.norte@deco.pt

 

Mais informação: 

DECO Proteste: Comissões bancárias disparam na Caixa Geral de Depósitos

DECO Proteste: Contas à ordem: qual o melhor banco?

DECO Proteste: As 10 comissões bancárias mais bizarras

DECO Proteste: Contas à ordem: custos sempre a subir