Página principal Literacia Financeira ESPAÇO CONSUMIDOR Espaço consumidor: “Crédito para financiar os estudos do filho?”

Espaço consumidor: “Crédito para financiar os estudos do filho?”

21-12-2016

Um consumidor colocou-nos a seguinte questão:

“Tenho um filho pequeno e já estou preocupada com o seu futuro. Quero assegurar-me que teremos  condições financeiras para que ele frequente  o ensino superior em Portugal ou no estrangeiro. Face aos gastos que se perspetivam, ele poderá recorrer ao crédito para estudante?”

 A DECO informa:

As despesas com os estudos são um encargo importante para as famílias e com o ingresso no ensino superior as despesas aumentam consideravelmente. Desde logo as propinas, mas também os livros e outro material escolar que em norma são mais dispendioso.

E se o seu filho tiver de se deslocar para fora da área de residência, nomeadamente para o estrangeiro, as despesas serão superiores pois terá que contar com verba acrescida para alimentação e alojamento.

O impacto destes encargos no seu orçamento familiar poderá não ser tão pesado se, porventura,   tiver a possibilidade de planear e  poupar com vista a suportar esses encargos. Em países como os EUA, a criação de um fundo de poupança para a educação dos filhos é uma prática comum.

A recomendação que desde já fazemos é óbvia: quanto mais cedo começar a poupar, menos terá que colocar de parte do seu rendimento mensal. A poupança é o melhor caminho para evitar ruturas do orçamento familiar ou mesmo o recurso a empréstimos universitários ou o recurso a outros créditos.

As opções de poupança habituais para esta finalidade  são as contas-poupança ou depósitos a prazo, mas ambas as soluções  rendibilidades muito baixas nesta altura. Se tiver uma poupança que se destina a ser utilizada apenas para a educação, poderá apostar em produtos   de investimento com retorno mais elevado.

Deverá analisar sempre o produto de poupança a escolher, comparar propostas de vários entidades e ter em atenção o prazo de vencimento, o eventual risco de perda do capital e a possibilidade de mobilização antecipada, sem penalizações. Poderá obter mais informações no portal da Proteste Investe.

Se não conseguir  fazer uma poupança poderá ter que recorrer ao crédito bancário, mas deverá ser uma decisão  sempre devidamente ponderada.

Há instituições de crédito que oferecem crédito universitário com garantia mútua (com apoio do Estado) ou o crédito pessoal com a finalidade educação.

O reembolso destes créditos é, em geral, exigido após conclusão dos estudos, pelo que será importante avaliar, para além do custo do crédito, as condições financeiras desse reembolso e se as poderá cumprir.

Em caso de dúvidas, não hesite em contactar-nos, pessoalmente, através do Portal do GAS ou para o seguinte email: gas@deco.pt   ou  gas.norte@deco.pt