Página principal Literacia Financeira ESTATÍSTICA Sobre-endividamento 2016: o que mudou

Sobre-endividamento 2016: o que mudou

24-01-2017

 

O número de famílias sem capacidade financeira para pagar as prestações de crédito  e as contas de casa não para de aumentar, apesar da recuperação da economia e da queda do desemprego. O número de pedidos de ajuda a famílias em situação de sobre-endividamento subiu em 2016 para 29.530 em 2015 o número foi de 29.056.  Desde  2011 que os pedidos de ajuda  têm subido consecutivamente, sendo 2016 o ano com maior número de pedidos de ajuda desde sempre.

As razões para este aumento estão nas causas geradoras das  dificuldades financeiras e as principais  causas  prendem-se com o fato de metade (51%) dos  pedidos de apoio serem resultado de situações de desemprego e de deterioração de condições laborais, explicadas sobretudo pelos baixos salários oferecidos a quem entra de novo no mercado de trabalho (após uma passagem pelo desemprego).

São questões relacionados com o desemprego e com o emprego que neste momento contribuem para as dificuldades das famílias.

Assim, a DECO, através do seu Gabinete de Apoio ao Sobre endividado considera que os portugueses apresentam graves carências no que concerne a:

1) Aconselhamento financeiro, que promova uma ajustada tomada de decisão financeira e agilize o processo de renegociação de contratos de crédito sempre que necessário;

2) Literacia financeira, visando o desenvolvimento de competências para uma gestão mais eficaz dos rendimentos disponíveis;

3) Apoios sociais, com vista a suplantar necessidades básicas existentes numa elevada proporção da população sobre endividada portuguesa.

Todos os consumidores  podem ter  ajuda ou orientação na gestão do seu orçamento familiar, os contactos podem ser efetuados  nos nossos serviços,  através dos seguintes e-mails:

gas@deco.pt   ou  gas.norte@deco.pt

Download: Boletim Estatístico do GAS – 2016