Página principal Notícias Denúncia de propostas de crédito fraudulentas

Denúncia de propostas de crédito fraudulentas

11-03-2016

Muitos consumidores, quando confrontados com uma situação de sobre-endividamento, procuram, muitas vezes consolidar todos os créditos existentes ou, a contratação de um novo crédito, para pagamento dos restantes.

Mas, são soluções que não apresentam viabilidade. Desde logo, porque dada a frágil conjuntura económica, a consolidação de créditos de diferentes entidades é  difícil e de reduzida viabilidade, estando também dependente de alguns critérios a ter em atenção:

A existência de créditos em mora, contencioso ou abatidos ao ativo, informação que consta na Central de Responsabilidades de Crédito do  Banco de Portugal  e que torna  praticamente impossível, nesta fase, aceder a crédito para liquidação de créditos de diferentes instituições;
→ A Taxa de Esforço que corresponde à  percentagem do rendimento mensal que vai ser utilizada para fazer face aos compromissos financeiros ou seja, o peso das  prestações com crédito no orçamento do agregado familiar deverá ser inferior a  40% do mesmo;
A possível exigência de outras garantias reais (ex.: imóvel) e/ou pessoais (ex.: fiadores/avalistas), perante a análise de risco efetuada pela entidade credora.

Deve desconfiar quando lhe propõem dinheiro de forma fácil e com taxas baixas num anúncio de jornal ou quando  recebe um e-mail em que lhe oferecem crédito de somas avultadas, de forma extremamente fácil.  Com frequência, trata-se de uma forma elaborada de fraude.

São muitos os esquemas para enganar os consumidores: entidades  que dizem conceder créditos mas,  que o seu  objetivo é  apenas o de  conseguir o montante relativo às despesas iniciais do processo,  entidades que  dão a entender que o crédito foi já aprovado, mesmo havendo registo de incidentes no Banco de Portugal, como intuito de  receberem uma comissão  pelos  seus serviços,  depois indicam que o banco, afinal,  não concedeu o crédito.

.

.Dicas para se proteger: 

Deve  ignorar  os anúncios de crédito  onde não consta a identificação do potencial credor ou quando só é apresentado um e-mail ou número de telefone. Qualquer instituição de crédito com uma dimensão razoável tem um sítio na Internet. Certifique-se ainda de que tem um endereço físico.

Todas as entidades legalmente autorizadas a conceder crédito têm de estar registadas no Banco de Portugal: daí a importância da identificação da instituição que concede o crédito. Em posse do nome, consulte a lista no site do Banco de Portugal.

.

Apresente queixa e denuncie a situação ao GAS

Se esteve envolvido com uma suposta entidade  que concede crédito ou serve de intermediário e só se apercebeu tarde demais de que está perante uma proposta fraudulenta, apresente queixa de imediato às autoridades policiais e à  Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) .

A DECO tem vindo a acompanhar a conduta de algumas destas  entidades, denunciando as inúmeras situações lesivas dos interesses económicos dos consumidores.  De resto, já alertámos  para a necessidade de regulamentação desta atividade. Caso  tenha conhecimento de uma situação desta e pretenda  proceder à sua denúncia  junta da DECO poderá fazê-lo  através do preenchimento do  formulário   que deverá  remeter para o seguinte email: gas@deco.pt.

.

Para mais informação contacte o GAS.