Dia Mundial da Poupança

30-10-2019

No dia 31 de Outubro celebra-se o Dia Mundial da Poupança, mas as  famílias estão a poupar cada vez menos, há mais de dez anos que as famílias portuguesas não poupavam tão pouco como agora. Durante os anos da crise os consumidores foram bastantes rigorosos e cautelosos na forma como geriam o seu dinheiro.

Mas, de uma forma geral, as famílias portuguesas já recuperaram algum rendimento disponível.  Os apelos ao consumo funcionaram e deram um importante impulso à economia e têm levado a que as famílias aumentem as suas despesas.Os consumidores estão a consumir mais, a recorrer mais a crédito e esquecer os comportamentos mais ponderados  e responsáveis.

Com mais dinheiro disponível começaram a fazer férias mais vezes ao longo do ano, a comprar um carro novo ou até comprar ou trocar de casa. Estes são alguns exemplos de decisões mais imediatas, mas é preciso alguma cautela, pois a estabilidade financeira depende da capacidade de gerir o dinheiro e de poupar.

Uma grande fatia das famílias tem rendimentos muito baixos que não lhes permite destinar um valor para a poupança, por outro lado, gasta-se cada vez mais do rendimento disponível, faltam incentivos à aplicação da poupanças. Existe a ideia de que se tem disponível sempre dinheiro através do recurso ao crédito. Tudo isto tem contribuído para que a poupança perca a sua importância e sejam cada vez menos as famílias a pouparem.

A maior parte das famílias não tem sequer um fundo de emergência, montante que serve para fazer face a dificuldades. E se em situações imprevistas de doença, desemprego, despesas inesperadas se o consumidor não um pé-de-meia pode ter graves problemas com a gestão do seu orçamento.

Gerir e poupar devem ser as palavras de ordem!

Partilhe