Página principal Literacia Financeira CONSUMIDOR ECONOMICAMENTE VULNERÁVEL Apoios sociais Manutenção de benefícios fiscais no caso de reavaliações dos graus de incapacidade

Manutenção de benefícios fiscais no caso de reavaliações dos graus de incapacidade

07-12-2021

A Lei nº 80/2021, de 28 de novembro vem clarificar os processos de revisão ou reavaliação do grau de incapacidade, alterando o Decreto Lei n.º 202/96, de 23 de outubro, que estabelece o regime de avaliação de incapacidade das pessoas com deficiência para efeitos de acesso às medidas e benefícios previstos na lei.

Esta clarificação era fundamental atendendo às diversas interpretações que foram surgindo, na qual se destaca a interpretação do Despacho do Senhor Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais n.º 9/2019-XXII, de 06 de novembro, replicado pelo Ofício Circulado n.º 20215 2019-12-03 da Autoridade Tributária e Aduaneira que veio criar diversos  constrangimentos quanto à manutenção de benefícios fiscais por parte de doentes no caso de reavaliações dos graus de incapacidade.

 A Lei agora publicada vem no sentido de clarificar os processos de revisão ou reavaliação do grau de incapacidade, alterando o Decreto-Lei n.º 202/96, de 23 de outubro, que estabelece o regime de avaliação de incapacidade das pessoas com deficiência para efeitos de acesso às medidas e benefícios previstos na lei.

Com a entrada em vigor da  Lei n.º 80/2021, de 29 de novembro fica inequivocamente estabelecido que sempre que do processo de revisão ou reavaliação de incapacidade resulte a atribuição de grau de incapacidade inferior ao anteriormente atribuído, e consequentemente a perda de direitos ou de benefícios já reconhecidos, mantém-se em vigor o resultado da avaliação anterior, mais favorável ao avaliado, desde que seja relativo à mesma patologia clínica que determinou a atribuição da incapacidade e que de tal não resulte prejuízo para o avaliado.


Para mais informações  contacte -nos 

Pelo telefone, para os nºs 213 710 238

ou por email: gas@deco.pt 


NN

Partilhe