4ª Ideia: A importância da poupança!

31-10-2019

Ideias para cumprir a meta: Poupar!

A poupança tem o seu próprio dia de celebração e a nível mundial, dia 31 de outubro, demonstrando bem a relevância que  a poupança assume.

No  Dia Mundial da Poupança  aproveitamos para ressalvar, uma vez mais, a importância da poupança e do impacto que esta poderá ter na gestão do orçamento familiar e na concretização dos nossos sonhos e objetivos!

Poupança

A poupança é a parte do rendimento disponível que não é consumida. Poupar exige que não se consuma todo o rendimento.

Poupar é não gastar hoje para gastar no futuro.

A taxa de poupança

A taxa de poupança sobre o rendimento disponível das famílias portuguesas, que já atingiu este século valores próximos dos 11% em 2001 e 2002, está hoje em níveis historicamente baixos.

De acordo com os dados publicado pelo INE-Instituto Nacional de Estatística, em setembro, a taxa de poupança das famílias portuguesas voltou a cair no segundo trimestre do ano, atingindo os 5,9% do rendimento disponível. Em sentido contrário a  taxa de poupança das famílias na zona euro subiu no segundo trimestre do ano para os 13,3%.

Uma grande fatia das famílias tem rendimentos muito baixos que não lhes permite destinar um valor do seu rendimento para a poupança, por outro lado, gasta-se cada vez mais o rendimento disponível e faltam incentivos à aplicação da poupanças.

Existe a ideia de que se tem disponível sempre dinheiro através do recurso ao crédito, seja com cartões de crédito, credito revolving sejam as contas ordenado. Mas o  dinheiro a crédito  é da instituição de crédito. Terá  de se devolver esse dinheiro e terá que se  pagar juros. Tudo isto tem contribuído para que a poupança perca a sua importância e sejam cada vez menos as famílias a poupar.

A maior parte das famílias não tem sequer um fundo de emergência, montante que serve para fazer face a dificuldades. E se em situações imprevistas de doença, desemprego, despesas inesperadas se o consumidor não um pé-de-meia pode ter graves problemas com a gestão do seu orçamento.

Fazer e gerir o orçamento familiar

A  primeira regra de ouro para gerir o dinheiro é  fazer o  orçamento mensal, que balance os  rendimentos e as despesas, de modo a ter presente quais são as despesas mensais. É um instrumento que permite ao consumidor verificar como e onde está a gastar o seu dinheiro.

Para fazer o orçamento não é preciso nada muito complexo. Pode ser um caderno ou numa folha de Excel, onde se coloca  uma coluna para as receitas e outra para as despesas, mas se quiser algo mais elaborado existem várias aplicações disponíveis.

No final de cada mês deve ser feita uma avaliação com  rigor ao  orçamento familiar e deve ser  declarada guerra ao desperdício, com vista a economizar e aumentar a verba mensal destinada à poupança.

Existem várias opções e atitudes a adotar, por exemplo: reduzir as comissões bancárias, negociar os prémios de seguros, cortar algumas  despesas diárias  sem colocar em causa a qualidade de vida.

Para mais informações e esclarecimentos, pode contactar o GAS DECO, pois estamos sempre disponíveis para o ajudar e informar!

Partilhe