Página principal Notícias Os Créditos à Habitação e ao Consumo cresceram em setembro de 2021, enquanto que os depósitos registaram queda

Os Créditos à Habitação e ao Consumo cresceram em setembro de 2021, enquanto que os depósitos registaram queda

04-11-2021

O Banco de Portugal acabou de publicar as estatísticas de empréstimos e depósitos bancários de particulares, atualizadas a setembro de 2021.

Segundo destaca o Banco Central, em comunicado de 27 de outubro, no passado mês de setembro, e no que concerne ao crédito a particulares, verificou-se um crescimento face a Agosto enquanto que os respetivos depósitos estão a desacelerar.

Refere ainda o Banco de Portugal que, em setembro de 2021, o montante total de empréstimos concedidos a particulares para fins habitacionais apresentou um crescimento de 4,3% (taxa de variação anual), tendo atingido 96 mil milhões de euros.

A taxa de crescimento destes empréstimos tinha sido de 4% no mês agosto.

Já os empréstimos ao consumo, informa ainda, cresceram 1,5% face a setembro de 2020, fixando-se em 19,1 mil milhões de euros (tinham crescido 1,3% no mês anterior).

 No referido mês de setembro, o montante de depósitos que os particulares detinham nos bancos residentes cresceu também 6,9%, em relação a setembro de 2020, para 169,2 mil milhões de euros (tinha crescido 7,1% no mês anterior).

O crescimento dos depósitos das famílias junto da banca tem apresentado uma tendência e valores próximos dos da área do euro.

Perante estas informações divulgadas pelo BdP, a DECO aconselha:

Se pondera comprar casa,   aproveitando o nível baixo das taxas de juro, alertamos para a importância de fazer uma avaliação rigorosa do impacto desta decisão no orçamento familiar, comparar propostas e condições e decidir em consciência, admitindo eventual subida das taxas de juro no futuro.

Faça simulações e peça propostas a três bancos diferentes, avalie os custos associados e comissões e não se esqueça dos seguros.


Consulte o nosso Guia da Habitação aqui e se tiver dúvidas, não hesite em contactar-nos.


A DECO pode ajudá-lo. entre em contacto com o nosso Gabinete de Proteção Financeira:

Contacte-nos

AP

Partilhe